As Rimas do meu versejar são veredas por onde vagueia a esmo a poesia, sem rumo, sem norte, cujo azimute é apenas um mote! (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos
Título Categoria Data Leituras
Perfeito Palavreado Politico Português Tautogramas 20/12/18 21
Potêncio Porreiro Páaaaaaa.... Tautogramas 08/12/11 43
PALAVREANDO PARA PORTUGUES VER... PORQUÊ!? Tautogramas 30/03/11 103
Portugal Parou?... Parou Porquê?!... Tautogramas 02/11/10 82