As Rimas do meu versejar são veredas por onde vagueia a esmo a poesia, sem rumo, sem norte, cujo azimute é apenas um mote! (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos
Título Categoria Data Leituras
"OS NÏZCAROS" - Aonde estão os meus Amigos!? Crônicas 16/12/18 22
"OS NÏZCAROS" - A decomposição da Língua do Ultramar Crônicas 15/12/18 18
A Morte de uma ilusão!... Crônicas 09/09/18 171
De Alfandega da Fé ao Colonato da Cela... Crônicas 09/06/18 328
A Minha Ida à Guerra... Crônicas 12/12/17 266
A Culpa dos Fogos em Portugal é dos Judeus! Crônicas 26/11/17 121
Alheiras de Mirandela... Crônicas 27/07/17 83
As àguas do Rio Tua... Crônicas 03/03/17 69
Um Governo antropófago... Crônicas 20/02/16 40
Bicas, Bocas e vamos à Bola... Crônicas 29/05/15 35
Lembranças do Rio Coina!... Crônicas 27/05/15 101
Há algo de podre no Reino da Feira da Ladra Alfacinha... Crônicas 23/05/15 112
A CONVERSAR A GENTE SE ENTENDE (?!) ... Crônicas 20/05/15 57
Os OVNIS já chegaram ?! Crônicas 15/04/15 47
Os Caminhos da Emigração! Crônicas 14/01/15 44
O Boi de Kobe Crônicas 16/12/14 86
Estórias de Um Caixeiro Viajante... Crônicas 01/11/14 91
Lembranças do I. A. R. N. Crônicas 30/09/14 317
Da Ladeira do Cansa Burros até à Burga... Crônicas 04/08/14 249
O DIA DE SÃO MARTINHO!... Crônicas 06/06/14 60
Página 1 de 4 1 2 3 4 [próxima»]