As Rimas do meu versejar são veredas por onde vagueia a esmo a poesia, sem rumo, sem norte, cujo azimute é apenas um mote! (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos
Título Categoria Data Leituras
Psitacismo Politico etc e tal e coisa... Teoria Literária 31/01/18 18
Vamos conversar em Mirandês!... Teoria Literária 04/06/16 200
Ser Escritor... Teoria Literária 06/02/16 92
De Pero Vaz de Caminha ao Acordo Ortográfico!... Teoria Literária 16/05/15 109
A CACOFONIA E O CACOFATO ... Teoria Literária 31/01/14 350
A PEDRA DAS CARAVELAS E OS CORNOS DOS VIKINGS Teoria Literária 15/05/12 398
CRISTÓVÃO COLOMBO ERA PORTUGUÊS!... Teoria Literária 01/06/11 2003
A TÍTULO DE INTRÓITO... Teoria Literária 07/10/10 65
Dura Lex...sed lex Teoria Literária 05/09/10 140