As Rimas do meu versejar são veredas por onde vagueia a esmo a poesia, sem rumo, sem norte, cujo azimute é apenas um mote! (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos
Título Categoria Data Leituras
O seu a seu dono!... Análise de obras 01/03/19 10
As Minhas Obras Literárias Análise de obras 06/02/19 30
"OS NÏZCAROS"... (DEZ) Ilusão numero 1 Análise de obras 05/01/19 17
"OS GAMBUZINOS" - Uma obra de "fique são" Análise de obras 22/12/18 12
Eu... quem sou!? Análise de obras 16/12/18 24
"OS NÏZCAROS"... uma Sátira à Governação Lusitana Análise de obras 11/12/18 36
O Potêncio outra vez a chorar!... Análise de obras 20/10/18 67
Alguns Livros da Minha Autoria Análise de obras 20/07/18 86
Eu, O Pensamento, a Rima!... Análise de obras 31/01/18 45
Nota de Abertura ao Título "As Pedras do meu Caminho"! Análise de obras 07/05/17 35
Introdução ao Meu Livro-Album "Molduras em Pensamento" Análise de obras 11/03/17 41
As Pedras do Meu Caminho Análise de obras 25/11/15 62
"OS GAMBUZINOS"... e a minha charge literária Análise de obras 09/01/15 75
O MIRANDELÊS e o Mirandês Análise de obras 02/02/11 204