As Rimas do meu versejar são veredas por onde vagueia a esmo a poesia, sem rumo, sem norte, cujo azimute é apenas um mote! (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos
Título Categoria Data Leituras
O Brasil foi "Achado" ou "Descoberto"!?... Artigos 12/05/18 532
O tempo é ouro!... Pensamentos 07/05/18 32
O Meu Riso Preferido... Trovas 29/04/18 19
As verdades são irrevogáveis! Pensamentos 26/04/18 23
Um Soneto à Liberdade... Sonetos 24/04/18 29
Das Videiras ao Lagar... Contos > Insólitos 10/04/18 28
O Tempo das Segadas!... Prosa Poética 06/04/18 34
Um Caminho de Virtudes!... Prosa Poética 26/03/18 18
Quando António Spinola quiz invadir Portugal... Artigos > Política 03/03/18 30
Pensamentos Emoldurados!... Pensamentos 20/02/18 32
Caravelas Minha Aldeia Transmontana... Biografias 09/02/18 163
Trovas das Minhas Curriças de Caravelas... Trovas 04/02/18 29
Eu, O Pensamento, a Rima!... Análise de obras 31/01/18 45
Psitacismo Politico etc e tal e coisa... Teoria Literária 31/01/18 19
Quando eu nasci cá no CEN Homenagens 28/01/18 29
Tradições da Aldeia Transmontana... Prosa Poética 16/01/18 103
A eternidade de cada texto... Pensamentos 10/01/18 21
Eu fui conversar com as Rosas... Poesias > Pensamentos 17/12/17 21
Eu contemplei a Madrugada... Poesias > Pensamentos 16/12/17 13
A Minha Ida à Guerra... Crônicas 12/12/17 267
Página 4 de 25 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]