As Rimas do meu versejar são veredas por onde vagueia a esmo a poesia, sem rumo, sem norte, cujo azimute é apenas um mote! (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos
Título Categoria Data Leituras
A Direita era a Esquerda!... Humor 05/12/17 33
A Culpa dos Fogos em Portugal é dos Judeus! Crônicas 26/11/17 121
A vergonha dos "Bicos" de Caravelas de Mirandela Biografias 09/11/17 39
Inimigos!... Quem os não tem?! Poesias > Reflexão 08/11/17 30
Ali na Beira do Cais Poesias > Recordações 25/08/17 25
O decálogo de Lenin Artigos > Sociedade 23/08/17 326
Curiosidades do Imperador do Brasil Artigos 22/08/17 202
Saudades de Luanda... Cartas 17/08/17 94
Tradições da Minha Aldeia Transmontana Trovas 16/08/17 45
Não é escritor quem quer... Poesias > Pensamentos 09/08/17 92
As Rimas do meu versejar Poesias 01/08/17 22
Eu sou!... Poesias > Recordações 31/07/17 39
Alheiras de Mirandela... Crônicas 27/07/17 87
Apelo ao Terrorismo do Cana Dá... Humor 21/07/17 98
As Batatas da Terra... Artigos > Ecologia 11/07/17 99
Na poesia de cordel cada "Causo é um Causo"!... Cordel 08/07/17 80
Requiem para Um Cordelista... Homenagens 07/07/17 38
Eu Canto para não chorar!... Cartas 06/07/17 23
Auto Didacta eu sou... Biografias 30/06/17 47
As Borboletas do meu Jardim Haikais 27/06/17 62
Página 5 de 25 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]