As Rimas do meu versejar são veredas por onde vagueia a esmo a poesia, sem rumo, sem norte, cujo azimute é apenas um mote! (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos
Título Categoria Data Leituras
O Primeiro Dia da Portugalidade... Homenagens 25/06/17 17
OS POETAS PEDINCHÕES!... Prosa Poética 23/06/17 19
Dignifiquemos Portugal!... Prosa Poética 22/06/17 26
A Teoria da Maracutaia na Geringonça Política "Xuxialista"! Cartas 14/06/17 21
10 DE JUNHO!... DIA DE PORTUGAL Homenagens 07/06/17 32
Quadras soltas ao vento! Poesias > Quadra 18/05/17 70
Alta Traição à Pátria... Artigos > Política 16/05/17 71
Faleceu o "Último Mohicano de Abril"... Cartas 11/05/17 33
Nota de Abertura ao Título "As Pedras do meu Caminho"! Análise de obras 07/05/17 35
A Lenda de Santa Luzia - A Santa da Visão Contos 14/04/17 126
Vamos Falar Nordestês!... Linguística 06/04/17 124
Introdução ao Meu Livro-Album "Molduras em Pensamento" Análise de obras 11/03/17 41
A Delação Premiada do Prémio Nobel Lusitano... Artigos > Literatura 10/03/17 52
Abril Mentiras Mil!... Artigos > Política 10/03/17 31
Abril Mentiras Mil... A Morte de Sá Carneiro - Capítulo II Artigos > Política 05/03/17 89
Povo Instruído e Educado... Artigos > Literatura 04/03/17 84
As àguas do Rio Tua... Crônicas 03/03/17 69
Página 023 - Meus Dias!... Poesias > Saudade 27/02/17 63
O Fado da Escumalha... Poesias > Glosa 22/02/17 259
Como se está a viver em Portugal... Cartas 31/01/17 26
Página 6 de 25 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]