A eternidade de cada texto ou até um livro, é a sequente futura ação do escritor que abriu o cenário com apenas uma letra. Por isso vos digo que a minha vida era um Livro aberto com as folhas soltas ao vento. De súbito, e não mais que de repente, aos 25 anos de idade, veio um tufão chamado Descolonização!... (Silvino Dos Santos Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos



<< Sinto que a fraqueza me alcança...>>  (004)

 
Sinto que a fraqueza me alcança,
Quando estou chegando mais junto de ti.
  Sinto que a alma me foge daqui,
  De cada vez que o tempo avança!
    Trazendo a tristeza a  meu pobre espírito.
    Revolto sem forças, para mais um grito...
 
São dúvidas mil que em mim ecoam,
Pensamentos fracos se tornam confusos!,
  São células mortas que não se renovam,
  É vida que se apaga de tantos desusos... 
 
 Lembrança constante do bem e do mal,
  Que me leva de novo ao mais alto sentir,
    Teu nome divino que me vai destruir,
     Meus ídolos sagrados com graça infernal,
     Queridos, adorados, por todas as crenças, 
   - Esquece-te de mim!,... se em mim inda pensas!
 
(in: "Eu, O Pensamento, a Rima!...”)
De: Silvino Potêncio -
Luanda: Anos 70

 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 02/11/2010
Alterado em 12/05/2017
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários