A cultura de um POVO não pode, não deve NUNCA! se submeter a ideologias politicas ou partidárias!pois que inspiração ou intelecto criativo não se compra nem se se vende, é como o amor, já vem do berço! (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos



          Aldeia dos Colmeais na Encosta Sul da Serra de Bornes

 "Curriças" são construções rústicas levantadas, em algumas propriedades no Termo da Aldeia, e feitas com pedra tosca não trabalhada. - São construções bastante rudimentares em formato quadrangular, porém muito antigas, geralmente situadas longe das casas do povoado transmontano.  - Nos meses de verão as “curriças”  são utilizadas para guardar os animais; cabras, ovelhas e bois, vacas, jumentos, cavalos, tanto durante a noite como no período da "sesta" - geralmente entre as 11 horas da manhã até as 15 - 16 horas da tarde. 

"Uma Ode às "Curriças de Caravelas"! 
 
Ainda hoje por pirraça,
Eu entrei aqui nesta praça, p'ra saber o que se passa!?.
 Logo que entrei e aqui vi,
Tudo isto que aqui li, era muito do que esqueci!...
 Mas eis que o amigo Delmar,
Pelo visto veio contar, neste seu profundo prosar...
 As coisas do meu Rincão...
Umas boas outras não, que falam bem da Nação!...
E também dos traiçoeiros,
Caminhos e caminheiros, que se foram p'rós estrangeiros!...
 De lá da "santa terrinha",...
Me trazes novas fresquinhas,
Umas tuas, outras minhas!...
 Por isso eu aqui te solicito,
Que repitas o que foi escrito, e tantas vezes já dito!...
Em terras de Caravelas,
Do Concelho de Mirandela, tu conheces o que há nelas?
 Pois então quantos serão,
Os passos que dali vão, do Quadraçal ao Pinhão?!...
 Subindo pela ladeira,
Do caminho que leva à eira, e passa pela Carreira...
Do Moinho até aos Tojais,
E até aos Colmeais, que eu não esqueço jamais!!!!...
Dize-me se já lá passaste!...
Por onde foi que tu andaste, lá na terra... onde ficaste?
Ali no Terreiro do Passo,
De Caravelas tem pouco espaço,
Mas sempre aberto a um Abraço!!!
 
A diáspora é feita de mudanças! - PORTUGAL É ETERNO!...  Abraço a todos,
- Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano
O Homem de Caravelas - Mirandela - A Caminho do Quadraçal...

Original Publicado no Blog http://zebico.blog.com
 

( UMA VERSÃO EM MIRANDÊS)

Ua Ode a las "Curriças de Carabelas"!
 Inda hoije por pirraça,
You antrei eiqui nesta praça, p'ra saber l que se passa!?...
 Lougo qu'antrei i eiqui bi,
Todo esto qu'eiqui li, era mui de l qu'esqueci!...
 Mas eis que l'amigo Delmar,
Pul bisto bieno cuntar, neste sou perfundo prosar...
 Las cousas de l miu Rincon...
Uas buonas outras nó, que falan bien de la Nacion!...
 I tamien de ls traiçoeiros,
Caminos i camineiros, que se fúrun p'rós strangeiros!...
 D'alhá de la "santa terrinha",...
Me trazes nuobas fresquinhas, uas tuas, outras minhas!...
 Por esso you eiqui te solicito,
Que repitas l que fui scrito, i tantas bezes yá dezido!...
 An tierras de Carabelas,
De l Cunceilho de Mirandela, tu conheces l qu'hai neilhas?!...
 Pus anton quantos seran,
Ls passos que deilhi ban, de l Quadraçal al Pinhon?!...
 Subindo pula ladeira,
De l camino que lieba a l'eiras, i passa pula Carreira...
De l Molino até als Tojales,
I até als Colmenales, que you nun squeço jamales!!!!...
Dize-me se yá alhá passeste!...
Por adonde fui que tu andeste, alhá na tierra... adonde quedeste?
Eilhi ne l Terreiro de l Passo,
De Carabelas ten pouco spácio, mas siempre abierto a un Abraço!!!
 ... diáspora ye feita de mudanças! - PORTUGAL Ye ETERNO!...
 Abraço a todos,
- Silbino Poténcio - Eimigrante Strasmuntano
L Home de Carabelas - Mirandela - La Camino de l Quadraçal...
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 08/06/2012
Alterado em 10/12/2018
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários