Se recordar é viver, então recordemos! --- Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores tristes de um passado já distante!
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos




<< Depois do Medo perdido!...>>  (006 )
 
Entrei pela porta da vida,
Saí correndo assustado;
  Descobri que sou,... tão mal formado.
   Que de mim tenho medo constante, 
 Nascido comigo no instante
 Que minha Mãe me deu vida. – me tornou nado!
 
O meu “Eu” Andará por aí,
Cantando, rindo e chorando comigo...
Para mim será um simples Amigo,
Com os olhos daquilo que eu vi.
 
Entrei em mim como água em mar alto,
  Se deixa tomar pelos peixes...
   Se por ti tiveres medo não deixes,
    Que ele te tome de assalto...
     - Não queiras que o tempo te leve,
        A ter medo de quem o não teve.
(in: "Eu, O Pensamento, A Rima!...")
Silvino Potêncio - Luanda/1971

 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 23/10/2013
Alterado em 09/08/2015
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários