Se recordar é viver, então recordemos! --- Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores tristes de um passado já distante!
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos


À MINHA MÃE QUE DEUS TEM... (UMA VERSÃO EM MIRANDÊS)

A la Mie Mai que Dius ten...

 
La Mie Mai que Dius Yá alhá ten,
To die trazie auga pura de la fuonte.
I antes de l friu chegar, eilha tamien,
Iba Buscar mais lenha cortada ne l Monte!
 
A la nuite, nós todos an buolta de la Lume,
Oubíamos aqueilha anterminable Ladainha.
- Abe Marie Chena de grácia a la sue maneira,
La Santa Mai de todos parecie qu'era la Mie.
 
L seran yá iba mui adiantado,
Quando eilha anton paraba de rezar...
I l borralho que parecie star apagado,
Calecie la cena que benie depuis de l Jantar.
 
Grelos de nabiça i muita patata cozida,
Azeite dourado qu'eilha botaba por cima...
Inda a fumegar la Tabafeia era serbida,
I l friu alhá fura cortaba cumo ua lima.
 

(in: " POESIAS SOLTAS " De: Silbino Poténcio)
Emigrante Transmontano em Natal (Brasil)

www.silvinopotencio.net
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 05/03/2014
Alterado em 10/09/2015
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários