Se recordar é viver, então recordemos! --- Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores tristes de um passado já distante!
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos






De: Silvino Potêncio.

As Idéias confusas me assolam,

 Pensamentos que me fazem feridas.
  Imagens que me são mais queridas,
   Se apagam nos dias que rolam,
    Levando para longe de mim
      - Esta fúria, e a dor  desse teu fernesim!
 
Foste um turbante surgindo,
Na linha do deserto escaldante;
Ergueste a tua espada bramindo,
Desferiste-me um golpe cortante.
 
- Partiste!,... não foste lembrada.
     Com aquela ternura de outrora,
       Esqueci teu perfume de aurora
        Nascido da silva farpada;
          Fazendo-me ser forte e bem duro, 
           Turvando o meu ser que era puro!
 
 
(in: POEMAS DE ANGOLA -  "Eu, O Pensamento, A Rima"!...)
Da Série: Uma Quadra e Duas Sextilhas
Autor: Silvino Potêncio – Luanda/Anos 70
 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 21/09/2014
Alterado em 27/03/2017
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários