A eternidade de cada texto ou até um livro, é a sequente futura ação do escritor que abriu o cenário com apenas uma letra. Por isso vos digo que a minha vida era um Livro aberto com as folhas soltas ao vento. De súbito, e não mais que de repente, aos 25 anos de idade, veio um tufão chamado Descolonização!... (Silvino Dos Santos Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos



  “Eu quis escrever um poema”! ... (004)

 
Eu quis escrever um poema,
Quis falar dum sentimento;
Encontrei-me no dilema,
De saber o que é talento!?...
 
Será inspiração ou tortura,
Podermos dizer frases belas...
Será realidade, ou Loucura?!...
Que alguém possa pensar nelas.
 
Se a vida nos torna corruptos,
Se amamos só o “bom-viver”;
- E se os factos se tornam abruptos
 
É certo que vamos sofrer, e perder,
- Os sonhos que não construímos,
Em versos que jamais evoluímos!...
(in: Eu, O Pensamento, A Rima!...")
De: Silvino Potêncio - Luanda - 1970  

 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 03/12/2014
Alterado em 05/11/2018
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários