A eternidade de cada texto ou até um livro, é a sequente futura ação do escritor que abriu o cenário com apenas uma letra. Por isso vos digo que a minha vida era um Livro aberto com as folhas soltas ao vento. De súbito, e não mais que de repente, aos 25 anos de idade, veio um tufão chamado Descolonização!... (Silvino Dos Santos Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos



Uma Linha Ferroviária Centenária totalmente desmantelada com um desrespeito frontal à Classificação da UNESCO como sendo esta Região um Patrimônio Natural da Humanidade.

De: Silvino Potêncio... 
® Os Gambuzinos (300)  > Há algo de podre no Reino da Feira da Ladra Alfacinha!


Tal como diria o Grande "Uuilliame Sheikas Piars"  lá no Reyno de Sua Má Jestade há mais de 400 anos;  << há algo de podre no reino da Dinamarca!>>  Vem isto a propósito das recentes movimentações orquestradas pelos Cafajestes do Club dos Bilderberg que mais não são do que os novos "donos do mundo" hoje em dia, em se tratando de Portugal Ibéricuuuuuuu.
Eu escrevi cerca de 50 crônicas inseridas no meu Livro "OS NIZCAROS" durante  a primeira Campanha para eleição do Home de Bule & Queime. E fiz isso em réplica, na maioria delas, aos muitos e diversos comentários que eu lia na midia da época atrás referida. Fechei o Livro com a minha crônica  “As Minhas Dez Ilusões” porém o Blog continua lá aberto – não com todas as crônicas mas com a maioria daquelas que eu achei serem do interesse maior de cada Leitor.
Hoje trago-vos a minha Crônica de numero 300, com o título sugestivo  “Há algo de podre no Reino da Feira da Ladra Alfacinha!” ,  que vai fechar o Meu Livro “OS GAMBUZINOS”  cujo nome homônimo também se mostra através do Blog que continua lá,  activo enquanto pudér!
- E digo sugestivo por causa da minha mais recente decepção, não foi exactamente uma desilusão como mencionada no livro anteriormente citado,  mas foi sim uma grande decepção ao ver aqui certas atitudes de pessoas (homens e mulheres) da vida pública Luz & Tana destes ultimos 40 anos, ou mais!
Durante anos guardei uma foto-caricatura que me foi enviada por desconhecido via internet, cuja autoria está nela inserida,  e eu sempre relutei em incluir neste quarteto (os 4 Ex Presidentes) como sendo eles os “Cavaleiros do Apocalipse”!  - Havia uma certa experança de que, pelo menos o Senhor General Ramalho Eanes, mantivésse a sua postura politica em abono da verdadeira democracia!...
Eu sempre achei que ele seria a favor da governação honesta e não demagoga, muito menos a favor de mentalidades traidoras aos interesses da Pátria de todos nós!... Isto porque, no nosso conceito o agora Candidato a Belém tem uma triste “NÒDOA” no seu passado como militante activo.
Acabo de receber um comentário que eu subscrevo na integra, em todos os detalhes expostos pelo Amigo Escritor Historiador Militar, Coronel Manuel Amaro Bernardo pois que, tal como ele,  eu também acho que esta posição do Senhor General nos traz uma grande decepção, sim Senhor!  
Vejamos a citação Comentário:
Lamento que o General Ramalho Eanes acompanhe Mário Soares e Jorge Sampaio no apoio a Sampaio da Nóvoa.
Lembro que este candidato se gaba de ter estado nas barricadas do 28 de Setembro, com a sua namorada (Jornal i), evento este, em que foram desencadeadas numerosas prisões arbitrárias.
Na feitura das listas de entidades a deter, colaborou o secretário-geral do PCP, Álvaro Cunhal e foram executadas pelo COPCON de Otelo S. Carvalho. 
Como bem se recorda o “fascista de serviço”, Jaime Nogueira Pinto, dois desses presos arbitrários foram o General Kaúlza de Arriaga, conceituado militar no apoio à Força Aérea (Secretário de Estado) e ex-Comandante-Chefe de Moçambique e o locutor da então Emissora Nacional, Artur Agostinho. 
Manuel Bernardo (Cor. ref.)
Fim de citação

Da minha própria lavra eu acrescento aqui uma outra citação do Saudoso Poeta, Escritor e Critico Literário, o Coronel Joaquim Evônio já falecido, que avaliou “in situ” muitas destas crônicas escritas por mim, e depois, algumas delas aqui foram divulgadas nos vários espaços virtuais onde eu as  costumo circular mas,  sobretudo aquelas velhas verdades que permanecem na sua Página literária “VARANDA DAS ESTRELICIAS”,   por onde passaram tantos e tão Bons Escritores com as suas obras, com os seus anseios, os seus sonhos e as suas preocupações sobre os destinos da Lusofonia.
- E Como ele costumava dizer;  “ainda bem que fui preso logo depois do 25 de Abril  porque de lá de dentro do Forte de Caxias,  eu não tive como ver toda a desgraça que foi a desmoralização das Forças Armadas e do Poder em favor de Oportunistas, Vigaristas, Comunistas, Xuxialistas, e muitos outros “istas” que,  simplesmente; se apoderaram e se instalaram  no Poleiro Alfacinha logo na madrugada do dia 26 de Abrilo de 1974”
​Sim Senhores!...
 – poleiro este que, hoje em dia  mais parece uma “gaiola al facínora” exposta na Feira da Ladra,  ao serviço dos politicos que aí estão!... 
E estes actuam sempre quais marionetes comandadas à distancia por controle remoto dos tais membros do agora famoso “Club Bilderberg”!

Um poleiro internacional que mais parece serem uma Nova SEITA – “Os Criminosos” de fato e gravata do nosso tempo!
​Donos do Portugal de hoje!... eles são politicos, são banqueiros, são gente que vive na sombra e no anonimato social, porém controlam tudo.

Tudo o que vem para a “mesa do rei” e não importa evocar o velho refrão “coentros e rabanetes” não vão à mesa do Rei...Não,  não!...  Aqui nas reuniões Secretas sempre muito bem orquestradas pelos verdadeiros "donos do mundo", aqui discute-se tudo!  Determina-se quem é quem e quais devem perder ou quais devem ganhar o quê, quando e aonde?!
Se o Patrimônio, seja ele material ou inmaterial, seja Natural ou construído pelos antepassados, ao longo dos Séculos,  mesmo se está já autorizado e resguardado como o Ultramar Português estava,  ou simplesmente o inestimável  VALE DO RIO TUA que foi certificado Internacionalmente pela UNESCO, tudo isso foi conspurcado pela politica de araque que aí está há 40 anos ou mais!...
​Há excepções,  porém os lacaios do "Poleiro Alfacinha" simplesmente o estão a destruir para cumprir resoluções de compromissos préviamente assumidos a troco de míseros "30 DINHEIROS"!... e lá foi um tal Primeiro Ministro a lançar a primeira pedra, ou seja: na verdade ele jogou uma pá de cal e de CIMENTO em cima da região Douro e Tras Os Montes a qual já havia sido vilipendiada a troco de promessas! Uns “nadas” que o POVO nunca viu! e nem vai ver.  

Ah... se este fosse apenas um exemplo dos “vira casaca” que por aí pululam em volta das luzes da ribalta que vem lá não sei de onde!... estaríamos nós ainda bem, mesmo assim. 
Ah... se eu soubésse que esta é,...ou seria apenas mais uma decepção ao ver estas coisas no Reino Maravilhoso que fica para lá do Marão! estaríamos nós bem ainda assim.
​Mas
 Não, não é apenas uma amostra ou exemplo!... isto é uma vergonha que ultrapassou fronteiras!
- É isso sim a maior decepção ao constatarmos que após mais de 40 anos o Reino Alfacinha continua sem rei nem roque!
O tabuleiro onde os “Bilderberg”  jogam não tem “peões”, não tem POVO!... Tem ali apenas os convidados que podem chegar á "Mesa do Rey"!...

O POVO?!... esse continua a lavar no Rio e no Mar da Palha dócilmente, parou de lavrar  enquanto a força de trabalho activa que poderia produzir na própria Terra mas prefere emigrar por não ter outra opção melhor.     
Boa Leitura e até à próxima.
Silvino Potêncio – Ex Combatente – Ex Residente em Angola – Ex Retornado ao Portugal Ibérico - Emigrante Transmontano em Natal/Brasil
www.silvinopotencio.net
Original Publicado no Blog: “os gambuzinos”

 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 23/05/2015
Alterado em 20/05/2016
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários