Se recordar é viver, então recordemos! --- Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores tristes de um passado já distante!
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos


Nota de Abertura;
Por norma e estilo literário eu costumo abrir as minhas crônicas" sempre com uma citação, ou um pensamento que porventura me parece ter sido a inspiração de cada tema mostrado ao longo do texto. Boa Leitura!  


(052)
...Bicas, Bocas e  Vamos à Bola! ...
 
Há poucas coisas tão fatalmente contagiosas como a alegria das pessoas sérias. (Dinis)
Estou de acordo com este pensamento porque eu mesmo sempre achei muito mais dificil comunicar as tristezas do que falar e escrever de coisas alegres; as primeiras me embotam o espírito, as segundas não preciso fazer nada, basta senti-las!
 
Loulé, (Freguesia de Tôr - Curral da Pedra - Algarve) – Passou-se isto em  meados da primavera de 1976. - Já estavámos no meio do mês das Mães e eu ainda nem sequer tinha conseguido arranjar um "tusto" para o sustento!, nem dava para pagar a "bica"!...
Naqueles dias eu só arranjava dinheiro para a "gasosa" do meu velho N.S.U., (aquele que  já Não Se Usava mais) cada vez que eu ia a Lisboa à procura dos ex-colegas de Luanda que, tal como eu, para lá haviam mandado algum dinheiro Português de lá da terra da Água do "bengo"  para alguém em Portugal  antes da independência!
Só assim se aranjava alguma coisa, e depois da "bica" lá se conseguiam também algumas "bocas" abertas,  porque fechadas!, elas não deixavam entrar moscas e ah!,...  isso era comum no tal chamado "mundo dos retornados à mãe-pátria"!...
Chegávamos ao hotel e  come e cala-te.  
- Últimamente tenho lido algumas respostas de leitores aqui no Portugal Virtual,  as quais sugerem que, na sua maioria,  os participantes regulares deste ponto de encontro, intitulados "voluntários confrades", absolutamente abnegados como o próprio Mentor diz que, dos Lusiadas apenas apreendeu a estrofe;
 " cantando espalharei por toda a parte, se a tanto me ajudar o engenho e a arte!”... Amén.
 Assim, nóis mesmos Também conhecidos como "cronistas virtuais", somos aqui acu... sados de sermos demasiado saudosistas, e só fazemos "blogs of shit" !
Bom... não sabemos traduzir isto na linguagem dos tais eruditos leitores a serviço da imprensa "Lusa"  e como tal, além de analfabetos, escritores assumidos de latrina, como demasiado saudosistas que somos,  só escrevemos matérias que os tais assumidos eruditos funcionários publico-privados leêm na retrete.
(Penso eu que quem falou no barco!, certamente ele estava embarcado).   
- Naquilo que me diz respeito, e em atenção aos princípios básicos apreendidos ao longo dos muitos anos do período pós 25 de Abril, embrionado pela força dos cravos na boca do cano das FN, coberto em um pseudo pacote democrático, ao qual recentemente baptizei de C.C.C.P = COMUNISTAS COM CUNHAL PASSADO, eu penso que nenhum português, homem ou mulher (nem mesmo os indefenidos recentemente oficializados pelo decreto lei aprovado, de "nuestros vicinos y  hermanos españoles - lá da Espanha não se espera  nunca,  nem bom vento nem bom casamento!... agora a coisa piorou por lá!... os paneleiros vão todos para lá gente).
-  Sim, e pelos lados do reino Alfacinha também parece que o Santo António já mexeu os cordelinhos em São Bento mas, como bom "alfacinha" eu acho que ele não deve deixar entrar nunca os "maricones" de braço dado lá na igreja dele (vade retrum!...)
Contudo dizia eu que, nenhum cidadão Português  deve confundir "saudosismo" com "história" contemporânea do nosso povo.
- Como todos sabemos, a palavra "saudade" é única e exclusiva da nossa lingua e por consequência, do Povo Português!!!.
- Por analogia podemos dizer que todos somos saudosistas mesmo logo à nascença!
- Até mesmo os estrangeiros nascidos no cantinho à beira mar plantado;  de frente para os dois jarros de flores ainda no "pau" da madeira, e os telúricos habitantes das ilhas dos Açores, os das Flores, os do Pico, todos voltados de costas para os "maricones".
 (Cuidado porque foi assim que a Alemanha perdeu a guerra!)
 A esses todos também os podemos chamar de saudosistas do tempo em que estudávamos uma disciplina chamada OPAN!?
- Não!, ... não é "opa", nem "ops",... nem nada!,  era mesmo OPAN = Organização Politica e Administrativa da Nação
 -Naquele tempo o sujeito nascia em Portugal, era Português! 
- Era sim!,...  e hoje temos que o garantir, que o somos alto e bom som em qualquer lugar porque,  ao que nos consta, hoje há em Portugal muitos Portugueses que não o são de verdade!
- E não lhes podemos chamar Portugueses  porque  são nascidos em território português, mas não lhe dão documentos!...
Hoje,  no estrangeiro,  quando me perguntam a minha nacionalidade, eu já me sinto na contingência de dizer "sou Português de Portugal", escrito, escarrapachado, autenticado em cartório público e privado, conforme consta nos registros da conservatória do    "Torel ".  Lá foi tudo assinado por Deus com firma reconhecida e autenticada, "in fine", como diria o grande vate Vinicius de Morais (saravá Mestre da boemia tropical!...)  por isso eu me lembrei do Curral da Pedra da aldeia de Tôr, lá em Loulé.     
- Esta cronica  nasceu de uma outra   minha  grande ® CATRAMONZELADA sofrida penosamente por mim aquando da minha primeira vez em que tentei publicar alguma coisa em jornal de circulação local, regional, distrital, ou até nacional e outras coisas assim terminadas em etc e tal!...  
A crónica de hoje é ainda, e também,  filha da tal noticia totalmente descabida e destemperada, além de mal-educada,... todavia foi democráticamente publicada  no portal virtual aonde escrevo dizendo que o PortugalClub é tão só um "blog of shit"... Quando, na verdade, ele deveria ser um "paredón"!        
- É isso mesmo; um "paredón" que traduzido para o bom português, saudosista das nossa glórias do passado, (isto porque ainda não descobri como devemos ter saudades do futuro!...) este "paredón"  se transformaria em um "muro" de Lusitaniedade!
- Um "muro" para colocarmos lá as lamentações de funcionários "publico-privados", que recebem  como caronistas do órgão publico que lhes paga, e que mais tarde acabam por driblar o tédio indo ao banheiro publico, também conhecido em português como casa de banho, retrete,  (não confudir com a "retrête" francesa),  latrina e etc. e tal.
Assim é - e passam a ser conhecidos como funcionários "publico-privados" os quais supostamente limpariam a noticia do "blog of shit" no "off de guiness"  que Deus lhes deu, porque quem não é sério,  passa o horário do expediente da repartição, sentado na privada com o laptop em cima das pernas, (com as calças arriadas), e depois de limparem o "blog"  o jogam no tal "paredón".
Esta seria uma suposta forma genérica de divulgar as noticias do tal "blog of shit" à custa do desperdício desses frequentadores publico-privados!.
Em vez de ajudarem a preservar o bom nome do Estado e do Povo que os lá colocou!...  que tal?
Mas,... nós não  somos tão saudosistas assim!, de forma alguma!
-  Isto porque, como poderiamos ter saudades do passado?!
- Esse passado recente que nos foi muito!, muito duro mesmo,... duro de doer na Alma e no corpo até que Deus queira!, Foi duro demais para nos deixar saudades!
- Teríamos como chamar de "saudosista"  a algum cidadão,   filho da "ponte que caiu!" ou quem sabe,  filho da outra senhora”?
Aquela  que o era na práctica por necessidade monetária,  mas ainda assim  conseguiu sair  às pressas de debaixo da ponte-que-caiu!, mas a tempo de chegar ali pelas bandas da Antonio Augusto de Aguiar  e encontrar o local mais concorrido dos vendedores de chupetas?
 De tão saudosista que eu sou,   e eu me senti ao ler esta noticia do PortugalClub de hoje,  logo fui a correr para a retrete e lá encontrei um resto da noticia, que eu ia publicar então naquele domingo do mês de maio da era pós 25 de abril.
Li justamente só porque alguém me tinha dito que o jornal  a "BOLA" não tinha nenhuma "boca" para falar em género de reportagem lá do Louletano X Quarteirense, lá do local aonde eu estava "aquado" e "aquartelado" por força do decreto luso, emitido com o título:
- RESULTADOS  DA JORNADA, encontros do "ALVOR"!: equipe da casa "0" X equipe dos fora de casa "NADA VEZES COISA NENHUMA"! 
- Este resultado certamente recebeu mil tratamentos da "lusa" mas do jornal  a "BOLA" eu nunca recebi a sumula de publicação.
- E p'ra quê!??...  
É que eles não me pagariam nada mesmo pela minha reportagem!
- Vejam só o título: BICAS,BOCAS, E VAMOS Á "BOLA"!...
- Agora chamem os saudosistas para falar das coisas boas daquela época! ... Oh da Guarda!
Aqui d"El Rei!... tem por aí um "blog of shit"  que só publica matérias de merrrrrrrda!
Nem serve  para os funcionários publico-privados lerem na privada!
- Funcionário publico-privado, radialista e cronista luso, (com todo o respeito pelos homens sérios eventualmente citados desde o início desta crónica),  tipo este agora identificado  cronista como sendo o caronista da "lusa" é assim quando vai à retrete leva o notebook e de lá atira no "paredón" na sua frente para ver se cola.
- Obrigado companheiro, pela participação!.
- Democráticamente estamos todos prontos no portal para ler os seus escritos da "retrête"!
Depois publicamos tudo em bom português e no muro!
- Até no muro das lamentações em mer...
​-  epáaaa!,  ia-me a fugir a "boca" para a verdade.

- Quero dizer que vamos até publicar as suas lamentações lá no muro em Meca.
Ah!,... se não tivéssem derrubado o de Berlim !
Aquilo é que era um local ideal!
Ali seria um "paredón" enorme!, um "muro" excelente  para publicar o tal  "blog of shit" deste leitor.   
Nota do Autor: uma unica vez eu tentei me aproximar dos Editores do Jornal a BOLA mas, certamente nunca daria certo, porque para eu ser Jornalista-Reporter desportivo não tinha nada a ver com Cronista, e ainda por cima ser  então um “Retornado” ao quadrado Luz & Tano!... nem pensar.  
(Texto Extraído do Meu Livro "CRÔNICAS DA EMIGRAÇÃO" - Capitulo 053 - Catramonzeladas Literárias)
Autor: Silvino Potêncio
Emigrante em Natal/Brasil desde 1979  

 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 29/05/2015
Alterado em 14/04/2016
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários