Se recordar é viver, então recordemos! --- Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores tristes de um passado já distante!
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos



De: Silvino Potêncio – A esperança!

A esperança que nunca morre,
É também a mesma que nunca socorre,
A quem do perigo se esquece...
- e vive desde o levante até quando anoitece!
 
Já no ventre da Mãe-Genitora,
A esperança nove meses demora,
Ela aparece só para os eleitos...
- e cresce enquanto ela suga os seus peitos!
 
Da natureza Humana se aparta,
A esperança que antes era farta,
Contudo ao nascer desse ventre sagrado...
- ela morre porque já não está ao meu lado!
 
A esperança sou eu!, És tu, somos nós,
Todos aqueles nascidos dos nossos avós,
Somos vivos, só por Deus o querer...
- e vivemos na esperança de nunca morrer!
 
Mas quando ela vai embora dizemos,
Quanta esperança na vida perdemos,
Apenas porque amar é só uma miragem...
- e finalmente fazemos a ultima passagem!
(in: “POESIAS SOLTAS” ad temporum)

 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 01/07/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários