A eternidade de cada texto ou até um livro, é a sequente futura ação do escritor que abriu o cenário com apenas uma letra. Por isso vos digo que a minha vida era um Livro aberto com as folhas soltas ao vento. De súbito, e não mais que de repente, aos 25 anos de idade, veio um tufão chamado Descolonização!... (Silvino Dos Santos Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos


Eu vi um Raiar do Astro Rei...

Poema extraído do Livro POEMAS DE ANGOLA "Eu, O Pensamento, A Rima!"...


<< ... Eu vi um raiar do astro rei !... >> (006)
 
Eu Vi um raiar do astro rei,
Por cima do monte da vida:
Foi o mais lindo que achei!...
E tinha no alto uma ermida.
Foi sol que ao entardecer,
Penetrou em meu abstracto;
A vida lhe quis oferecer,
Em puro e sagrado acto!...
Abençoados os olhos que viram,
Tão belos dons da natura:
Feitos de amor e ternura, 
Pintados por mestre sem par!...
Que admira aos mais insensatos,
E apaga os nossos maus tratos.
(in: "Eu, O Pensamento, A Rima!")
De: Silvino Potêncio
Emigrante Transmontano em Natal/Brasil

 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 27/12/2016
Alterado em 27/02/2017
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários