A honestidade do homem público se reflete mais nos actos e muito menos nos factos que, tantas vezes são adulterados pela mão dos que dela se aproveitam.(Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos


VAMOS CANTAR AS JANEIRAS...


Fomos cantar as “janeiras”, na casa do Ti Antoninho,
Botou p’ra assar as alheiras, chouriços e muito vinho!
Ø      eu era muito pequeno, e a noite estava gelada!....
Ø      a aguardente era um veneno, por isso a voz “engasgada”!

(XXXII)
`” .... ò senhores desta casa, vinde-nos cá abrir a porta;
bote a chouriça na brasa, porque a fome não está morta!
   Já nasceu o Deus menino, e nós o beijamos no rosto,
   No presépio pequenino, tem calor e amor a gosto!   

(XXXIII)
 Nos desculpem a cantoria, a esta hora da noite,...
Cantar os reis por de dia,  ninguém ouse e nem se afoite!
       Presunto figos e vinho, e até um naco de queijo
       Dá p’ra  jantar no caminho, depois   tocamos  no realejo!

(XXXIV)
Vinde-nos a Dar de comer, ó gente honrada da casa,
Aqui fora é frio de morrer, deixem-nos “xigar” à brasa!
     Lá debaixo do fumeiro, podem se  sentar à vontade...
      Joguem fora o “trasfogueiro” qu’ele já não sabe nem a idade.

(XXXV)
Vá ataão entrem p’ra dentro! ...C’aí fora tá de “ratchar”!
Ajeita-te aqui no Escano,“tchega-te” p’ra lá na lareira,
Inda cá temos lugar...
Este pipo é do outro ano, o deste não tem torneira.

Já cantaste a janeira , agora bamos jantar!!!

(XXXV)
Em Caravelas, toda a gente já dormia, quando a “janeira” acabava,
Cada um p’ra sua casa corria, e nos cobertores se enfiava!
   Da “neite” de consoada, ainda sobrava o borralho;

    Da fogueira quase apagada, ali no queimado do carvalho.






 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 06/01/2017
Alterado em 24/03/2017

Música: Luis Portugal - Tras os Montes - Luís Portugal

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários