A cultura de um POVO não pode, não deve NUNCA!...se submeter a ideologias políticas ou partidárias! e muito menos financeiras ou económicas, pois que inspiração ou intelecto não se compra nem se vende! - É como o amor, já vem do berço! (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos



... Lá no lugar do “Musiado” situado na saída da Aldeia na estrada que vai para Bornes,  a estrada asfaltada tinha uma baixa na recta e que, sem neve não causava qualquer problema aos carros que por lá passavam, mas com neve a coisa era bem diferente.
- me lembro que naquele tempo de inverno, e quando caía neve em abundância, os carros vindos de qualquer sentido, norte ou sul, mas principalmente os que vinham de baixo da Ladeira do Cansa-Burros, eles faziam a curva que ocultava a baixa que tinha no asfalto, em frente ao campo da bola, e ali se atolavam na neve!
Isto acontecia porque, na entrada da recta o nível da berma da estrada enganava os condutores, que se orientavam pela copa das giestas da valeta, e... como era tudo em linha recta, eles aceleravam. - Quanto mais aceleravam maior era o mergulho na camada de neve acumulada durante a noite em cima do alcatrão!,... mas já perto dos castanheiros que havia ali dos dois lados da estrada a baixa na estrada era mais funda e prontos,  alguns lá ficavam à espera que alguém fosse lá ajudar... e a malta nova ia.  
- Depois de os desatolarmos, e empurrar-lhes o carro para fora da zona de perigo, nós (geralmente só a malta nova ia lá ajudar) voltávamos lá, e  colocávamos a neve de novo no mesmo lugar, para que o próximo carro que viesse se enterrar lá de novo... e assim os condutores pudessem, ou tivessem que nos repetir a gorjeta por os termos ajudado a sair de lá...

Nota do Autor ; estas lembranças remontam aos anos 50 e 60 do Século XX.

 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 20/01/2017
Alterado em 20/01/2017

Música: Valsa da Meia Noite Acordeão - Desconhecido

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários