A cultura de um POVO não pode, não deve NUNCA!...se submeter a ideologias políticas ou partidárias! e muito menos financeiras ou económicas, pois que inspiração ou intelecto não se compra nem se vende! - É como o amor, já vem do berço! (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos


     

Algumas quadras extraídas do Meu Livro "Curriças de Caravelas - Trovas Comentadas"


Lá longe da minha janela,
Eu vejo as tuas Curriças!
Sempre serás a mais bela,
Aldeia que me enfeitiças!
 
Cantinho do meu Portugal,
Que eu guardo em pensamento...
Viver longe é o meu mal,
Viver perto me dá alento!...
 
Imagens que me trazem saudades,
Da Aldeia onde um dia eu nasci!...
São gentes que não sei a idade,
Pelo muito tempo fora que já vivi!...
 
As gentes da minha aldeia,
São cheias de tradições...
No peito de uma Alma cheia,
  Onde cabem tantos corações!
 
As trovas do meu coração,
Eu as faço aqui bem singelas...
Escrevi muitas pela minha mão,
Para o POVO de Caravelas!
 
Da Casa da Nossa Avó,
Ela me arrastou pelo chão.
A Professora era uma só,
E se chamava Dona Conceição!
 
Quase quatro anos passados,
Depois daquele dia em diante...
Fugi das curriças e dos bardos ,
E dos cordeiros eu fiquei distante!...
 
(in: CURRIÇAS DE CARAVELAS – TROVAS COMENTADAS)
Autor: Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal/Brasil 


 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 04/02/2018
Alterado em 27/05/2018

Música: Natalia Juskiewicz - Um violino no fado - Desconhecido

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários