A cultura de um POVO não pode, não deve NUNCA! se submeter a ideologias politicas ou partidárias!pois que inspiração ou intelecto criativo não se compra nem se se vende, é como o amor, já vem do berço! (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos




                                    Flor do Imbondeiro

(início de citação)
De: Sónia Tereza Vieira (Oeiras, 10.06.2019)

o ópio do povo!...
Eu trabalhei durante alguns anos como representante residente de uma ONG alemã dependente do Concelho Mundial Ecuménico das Igrejas denominado Brott fúr die Welt (pão para o mundo) consistindo o meu trabalho no apoio institucional, finançeiro e técnico de projectos de impacto social junto de organizações da sociedade civil com destaque para as instituições religiosas.
Identificava igrejas e os projectos comunitários destas, ajudava na elaboração dos projectos em curso ou prespectivados segundo as normas da minha organização, submetia a financiamento e uma vez aprovados fazia o acompanhamento dos mesmos pela avaliação sistemática...na altura(1994/96) só na cidade de Luanda(para não falar nas demais províncias)tinha recenseadas 637 igrejas dos mais variados cultos(até animistas)...um verdadeiro negócio...até uma delas, assim que teve a notícia que iria receber o financiamento solicitado,após a chegada do mesmo desmembrou-se em três...grandes makas...claro que cortei o subsídio e como já tinham arrancado com a iniciativa, reuni com alguns fieis que estavam a implementar o projecto, criei um grupo de coordenação que geriu o projecto, mandando os pastores  às urtigas...isso nada me espanta...se já não acreditava nas igrejas passei a abomina-las...cambada de criminosos...são piores que os partidos políticos...pois alimentam-se da fé dos crentes que, em desespero, procuram na igreja o bálsamo para as suas almas atormentadas pela miséria (material ou espiritual)...CAMBADA!
- texto recebido via internet -
Fim de citação. 


Nota de Rodapé:  Os quase 11 anos que eu vivi em Angola me deram um conhecimento bastante profundo do POVO Angolano e dos seus usos e costumes que espero sejam passados aos seus descendentes. Atrevo-me inclusivamente a classificar esses anos vividos em Angola como os melhores quanto à minha fase criativa e literária, não tanto pelo facto de incluir neste período da minha vida  os tão apregoados “anos dourados da juventude” e mais pelo muito conhecimento adquirido e sobretudo pelas amizades que por lá ficaram ou se espalharam na sua maioria mundo afora.  Daí que, quando me perguntam a razão e o porquê desta minha classificação eu apenas resumo nisto; a minha vida era um “livro aberto” com as folhas soltas ao vento!, mas... de repente surgiu um vendaval, um autêntico furacão chamado “descolonização”!  
Tenho recebido aqui inúmeras cartas as quais eu guardo com carinho e muita nostalgia, sobretudo uma incomensurável saudade que dói, dói... e não adianta esquecer!
O texto acima me trouxe esta saudade. Obrigado Amiga Sónia Teresa Vieira e não se deprima amiga. Se lembre do pensamento maior do Poeta Fernando Pessoa que, ainda criança, também passou por Angola… “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”!  
Com certeza o seu trabalho mereceu a pena sim. Valeu a pena apesar da “CAMBADA DE BANDIDOS, BANQUEIROS, TRAIDORES, POLÍTICOS CORRUPTOS” que imperam não só em Angola,  mas em muitos outros países, mesmo naqueles que escondem o lado ruim da sociedade em que vivemos. Pessoalmente eu agradeço pela sua carta em abono do POVO ANGOLANO. E me despeço com um velhor provérbio Indio: a Fé pela qual eu me ajoelho é a mesma que me ajuda a levantar. Fica com Deus!!! 
Silvino Dos Santos Potêncio
Emigrante Transmontano em Natal/Brasil
Ex Residente em Angola.  



 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 12/06/2019
Alterado em 14/06/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários